Loading...

26 de set de 2009

Mensagem de conclusão do curso

Aos meus colegas e professora do curso do NTE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Meio Ambiente- 8 série


Reciclagem e Meio Ambiente

Escola: Bandeirantes

Nome: Leonardo Casanova Garcia e Tiago Souza D. Oliveira Anderson de oliveira

Nº: 14 e 19, 1

Turma:81 Serie: 8º

Dia:04/06/2009

Professora: Marlova Malbe


Receita do sabão com o aproveitamento de gordura

Ingredientes:

  • 6 litros de água;

  • 4kg de óleo;

  • 2kg de sebo;

  • 1 copo de sabão em pó;

  • 5 colheres de polvilho azedo;

  • 1kg de soda;

  • anil (opcional).


Modo de fazer:

Em um balde com quatro litros de água, misture o polvilho azedo em um balde com dois litros de água, em seguida misture a soda, após coloque a água com a soda por ultimo, misture bem em uma bacia grande e mexer por 1 hora aproximadamente.


Produtos

Preços

Soda

8,35

Anil

5,56

Omo

3,85

Polvilho

1,90

Total

19,36


Como é feito o Sabão?

O processo de elaboração de sabão caseiro era bastante conhecido no nosso meio até algumas décadas atrás, mas com o advento do sabão em pó, com a migração do pessoal da zona rural para as grandes cidades e o ritmo de vida atual, o processo caiu em desuso e esquecimento. Atualmente, é raro encontrar mesmo no meio rural, quem ainda se dedique a fabricar sabão artesanalmente.

Durante centenas de anos os sabões foram usados para processos de limpeza e lavagem, em todo o mundo, sendo conhecidos há mais de 2.500 anos. Os fenícios se banhavam fazendo uso de uma pasta obtida fervendo banha de cabra com cinzas de madeira.

Os antigos romanos apreciavam muito os diferentes e perfumados tipos de sabões em suas termas, mas com a queda do Império Romano ninguém mais ouviu falar de tal produto. O sabão só veio a reaparecer no século IX na cidade de Savona, Itália (eis aí a origem de seu nome), mas era usado apenas pelos nobres. A difusão em larga escala do sabão só veio a ocorrer cerca de dez séculos depois

De acordo com POUCHER, (1984), a sua estrutura típica é:

Este composto de longa cadeia, sintetizado a partir de óleos ou gorduras, é facilmente degradado pelas bactérias e tem um tempo de permanência ambiental menor que um dia (WAITE et al.). Assim sendo, a sua ocorrência nos sistemas aquáticos não corresponde a um problema ambiental (DA CUNHA, et al. 2000).

O sabão é produzido através da reação conhecida como saponificação. Esta reação geral de produção do sabão pode utilizar matéria prima de diversas origens. O triglicerídeo, que é o tipo de gordura mais abundante na natureza, é usado como matéria prima na fabricação do sabão, e pode ser proveniente do sebo de origem animal, dos óleos vegetais ou da mistura de ambos. A reação de saponificação ocorre conforme mostrado na reação abaixo:

Basicamente, a reação de saponificação consiste em misturar determinada quantidade de gordura com uma solução de hidróxido de sódio (soda) sob agitação constante e em presença de calor (na maioria das receitas este é um componente essencial).

Fonte: pt.shvoong.com

História do Sabão

Sabão Comum

Você Sabia que ...

Os sabões são produzidos a partir de óleos e gorduras através de reações de saponificação. Sabendo-se disto, como é possível o próprio sabão retirar "sujeiras" das roupas e de panelas que em geral são gorduras e óleos?

Ingredientes para sabão caseiro

A produção de sabão

Você pode produzir o sabão comum, que indicamos, de uma uma forma quase industrial utilizando latas vazias de 18 litros. Deixe o sabão esfriar para endurecer na mesma lata que foi feito.

Quando o sabão estiver duro vire a lata de boca para baixo, o bloco de sabão sairá, pronto para ser cortado.

Modo de Preparação

Levar ao fogo o sebo, para fundir, pondo-se, depois, o breu, em pedaços, para derreter, agitando-se.

Feito isto, junta-se a soda, dissolvida em 15 litros de água pura e deixa-se ferver.

Assim que a massa subir, junta-se a terça parte do resto da água e deixa-se ferver novamente; subindo, outra vez, junta-se a metade da água, deixando-se ferver, com pouco fogo; quando torna a subir, junta-se o resto da água e mantém-se pouco fogo, até subir novamente, quando se retira do fogo o sabão, despejando-o nas formas, para ser cortado, em máquina própria ou com fio de arame, depois de frio.

Se preferir adicione uma essência.

Ingredientes para sabão de laboratório

Modo de Preparação

1) Dissolva cerca de 3 g de NaOH em 10 mL de água destilada em um béquer de capacidade para 100 mL. béquer nº 1.

2) Adicione cerca de 15 mL de etanol e agite vigorosamente a solução, usando um bastão de vidro.

3) Acrescente 20 mL de óleo comestível (de soja, milho, amendoim) e aqueça cuidadosamente até a ebulição, mexendo continuamente com o bastão de vidro.

O aquecimento deve ser controlado para evitar que o material transborde. Deve-se interromper o aquecimento tão logo se verifique que não há mais gotículas de óleo em suspensão no béquer 1.

4) À parte, pegue um copo de bécker com cerca de 50 mL de água e vá adicionando aos poucos cloreto de sódio (sal de cozinha) até que o sal comece a se precipitar para o fundo do recipiente.

5) Em outro béquer nº 2, coloque cerca de 30 mL, da solução de cloreto de sódio que foi preparada e adicione o material que se encontra no béquer 1. aqueça o béquer 2 por alguns minutos, apague a chama e deixe o sistema resfriar me repouso.

A massa sobrenadante na solução do béquer 2 é o sabão.

Ingredientes para sabão frio

Modo de Preparação

Misture o sabão em pó , detergente e o fubá em um litro de água e reserve.

Dissolva a soda no restante da água, em seguida coloque o restante dos ingredientes e misture sem parar até começar a ficar duro, deixe de um dia para outro para cortar.

Use colher de madeira e vasilha de plástico, para esta finalidade.

Ingredientes para sabões diversos

Modo de Preparação

Um dia antes deixar a Lixivia pronta.
A outra metade de água, misturar com o Caulim.
Ajuntar as duas águas (Soda e Caulim) somente quando for
preparar o sabão.
Derreter as gorduras (Sebo e óleo), em uma outra lata
Depois de derretidas, coe em 1 ou 2 peneiras de malhas
finas (uma sobre a outra).
Quando as gorduras estiverem mornas, despejar a Lixívia,
mexendo-se. Depois de pronto colocar nas embalagens para secar e cortar.


Devemos ajudar o nosso meio-ambiente!!!



Devemos achar jeitos de reutilizar como o sabão senão acabaremos jogando esse material na natureza!!!!

SALA DIGITAL

COMO IREMOS A SALA DIGITAL?
Penso que poderemos trazer as crianças para a sala digital e ensiná-las, inicialmente, a trabalhar com o editor de imagens explorando as diversas ferramentas que o aplicativo apresenta: desde desenhos, pinturas, recórteres de figuras, colagens, tipos de letras e cores bem como fazer a produção e apreciação das atividades realizadas. O aplicativo apresenta desenhos, pinturas, escrita de várias formas com diferentes tipos de letras, cores, tamanhos... Recortar imagens e pôsteres será uma maneira muito agradável para ensinar e poderemos desenvolver uma aula interdisciplinar com temas relevantes... É importante que todos tenham conhecimento e segurança na utilização desta ferramenta possibilitando, assim, despertar no aluno, interesse no aprendizado. Dificuldades são encontradas no desafio do ensinar, resistências no adaptar-se ao desconhecido, mas tal necessidade, é importante e está em nosso meio aguardando para ser explorada e bem utilizada. Também é importante que haja interatividade entre professor X aluno X sala de aula X e o conteúdo trabalhado, para que o aluno se sinta motivado a querer pesquisar mais sobre o conteúdo dado. É importante também que os alunos desenvolvam o gosto pela leitura e se interessem mais pelos autores gaúchos e brasileiros, do que os do exterior. É claro não podemos deixar de lado a leituras dessas obras mas também também não devemos deixar completamente isolados os nossos autores. Cada tema importante trabalhado em sala de aula pode ser reproduzido em slides, vídeos, e assim tornar o conhecimento mais claro para o aluno, pois ele vai poder visualizar de uma forma agradável o que ele aprendeu.Concordo em realizar um trabalho multidisciplinar, verifiquei que o prof. Sadi acrescentou o filme o "Caçador de Pipas", é um ótimo filme para iniciarmos o trabalho com os alunos na sala digital, pois podemos unir as várias disciplinas da Escola, Português, Matemática, Ciências, Geografia, História, Educação Artística, Ed. Física e Línguas Estrangeiras. É só usarmos nossa criatividade! Podemos até construir as pipas com os alunos e soltá-las, o que acham?Poderemos sim, construir as pipas após ter assistido ao filme para poder contextualizar com a vida real. Este filme, inicialmente apresenta algumas cenas aparentemente tranquilas e normais onde as crianças aparecem brincando, dois amigos, sob o olhar de seus pais, sendo que os mesmos vencem uma disputa entre as outras crianças da mesma cidade... bem o que ocorre depois.... não iremos contar... que tal assistir ao filme??? É emocionante! O importante é despertar no aluno o interesse pelas atividades escolares, de maneira que ela veja a Internet como aprendizado, não somente Orkut, MSN e jogos. A cultura e o conhecimento disponíveis devem ser bem aproveitados, e bem direcionados pelo professor. Acredito e espero que juntos possamos descobrir a melhor maneira de utilizar a sala de aula digital, que esta, realmente se torne uma ferramenta útil no processo ensino-aprendizagem, podendo assim diminuir esta angústia, incerteza e insatisfação presentes, muitas vezes, no desenvolvimento do processo de "ensinar". Gostei das ideias expostas.A escola espelha a realidade familiar, acrescida do conhecimento profissional, transparência, responsabilidade e competência para interagir neste todo e abrir-se para as mudanças necessárias a cada momento definindo, após estudar, analisar e avaliar suas prioridades e determinar o que fazer.O acesso às Tecnologias de Informação e da Comunicação (TIC) ou a "alfabetização digital" é considerada fundamental para uma vida cidadã.Nessa perspectiva a escola, local onde desenvolvem-se capacidades cognitivas, sensitivas, afetivas e de especialidade das crianças e adolescentes associada a utilização das TIC, potencializa o processo de construção de conhecimento e de cidadania oportunizando aos estudantes a produção e difusão de suas criações.Penso que a Sala Digital também pode ser uma importante ferramenta no trabalho de ensinar a ler e escrever, bem como calcular de forma prazerosa. Muitas vezes, encontramos muitas dificuldades nesta área, fica faltando algo mais para que a criança domine o mundo da escrita, e, a informática pode se tornar um assessório atrativo e proveitoso. Nela encontramos várias atividades e jogos disponíveis onde, através da brincadeira, é possível decodificar a escrita brincando.É importante também que o professor tenha um bom conhecimento sobre como trabalhar determinado assunto e domine a parte proposta passando assim confiança ao aluno, tornando a atividade prazerosa, despertando nele o gosto pelo trabalho no computador.Excelente ideia. Acredito que este é o caminho para que possamos despertar e ou reativar no aluno a vontade de aprender, de ampliar horizontes.